A mídia social perfeita para o seu cliente

A mídia social perfeita para cada cliente

A mídia social perfeita vai aparecer, mas antes é preciso estudar.

Sempre insisto em dizer que as mídias sociais não são uma varinha mágica. É claro, posso parecer repetitiva e eu nem gosto disso, mas é essencial deixar isso claro a todos. Apenas estar nas redes não solucionará nenhum dos problemas. Nem muito menos irá por si só melhorar a presença e o retorno financeiro da empresa. Criar perfis em todas as plataformas sem sequer um planejamento prévio pode ser um grande desperdício de tempo e de dinheiro.

O básico das aulas de marketing/publicidade/administração seguem firmes na vida digital também: conheça seu público. Quem você deseja alcançar? Onde há presença desse alguém? Qual tipo de comportamento tem esse possível cliente? No inbound marketing, já comentado outrora aqui pela minha companheira de escrita Juliana Borges, esse “alguém” que você precisa compreender costuma ser chamado de lead. Apesar dos novos termos e das formas de se obter estas informações, nada mudou: basta conhecer seu público.

Case: a mídia social perfeita para empresa de T.I.

Cito como exemplo um cliente que atendi em 2015. Ter a presença da empresa nas mídias sociais parecia algo óbvio, no maior número que conseguíssemos. Entretanto, em pouco tempo foi possível perceber que o público daquela empresa não estava na plataforma mais popular: o Facebook. Nem mesmo o alcance pago foi capaz de trazer algum retorno do público.

Isso porque a empresa é especialista em uma área muito específica da T.I.. Os profissionais dessa área não são adeptos da plataforma promovida por Mark Zuckeberg. Não quer dizer que não haja profissionais da T.I. no Facebook. Claro que há. Entretanto há dois perfis: aquele que não usa o Facebook para fins profissionais ou educacionais e, ainda, aquele que está no Facebook mas tem uma formação básica na área sem muito anseio por certificações específicas. Sendo este último totalmente divergente do perfil buscado pelo meu cliente.

Não bastou só deixar a linguagem mais acessível e investir em mídia paga no Facebook ou ainda buscar engajamento dentro de grupos (genéricos) de profissionais da TI. Os passos tiveram que ser dados para além da fan page, encontrando apoio no Twitter e no Linkedin, esta última, sim, é a mídia social perfeita. Foi preciso muito estudo e alguns erros para descobrir que o público real desse cliente encontra-se em redes menos populares (no sentido de povão mesmo).

Apresentar os serviços e produtos do cliente com resultados foi preciso aliar Twitter, Facebook, comunidades do Telegram e carro-chefe: o Blog. As pessoas desse público buscam (e precisam) de conteúdo técnico atualizado com frequência e de fácil localização. Aliando todas essas mídias, os números do ROI (Return on investiment) passaram a subir consideravelmente.

Jéssica Macedo

Jornalista, especialista em brigadeiro de panela e mídias sociais. WordPress Fan.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

© 2018 Jornalista Digital | ScrollMe by AccessPress Themes